>> Esqueceu sua senha?

Refrigerantes de baixa caloria realmente são a opção mais saudável?

Categoria: Bem Estar
Postado em: 16/01/2016 às 15:51
Fonte: noticias.uol.com.b

É raro conseguir consumir algo que seja doce e ao mesmo tempo saudável. Sendo assim, é possível que bebidas de baixa caloria, os populares refrigerantes diet, sejam uma opção benéfica à saúde?

Nenhum especialista afirma que o consumo de refrigente faz bem para a saúde, já que uma garrafa de 500 ml pode conter cerca de 200 calorias. Mas uma versão diet da mesma bebida pode ter apenas uma caloria.

Seguindo uma lógica simples, portanto, trocar a bebida com açúcar pela versão dietética diminuiria o consumo de calorias.

No entanto, os 'refrigerantes diet' têm uma reputação polêmica.

Cresce entre os consumidores a preocupação sobre os efeitos de adoçantes presentes nessas bebidas para o corpo humano.

Já um grupo de cientista argumenta que são justamente eles que podem levar ao ganho de peso, além de aumentar o risco de desenvolver diabetes tipo 2.

"Muitos acreditam que (os refrigentes diet) sejam uma opção saudável pois não são bebidas com açúcar, mas o que é muito importante que as pessoas entendam é que não temos qualquer evidência científica disso", afirma Susan Swithers, professora da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos.



Pesquisas

Uma pesquisa entre adultos americanos, publicada na revista científica American Journal of Public Health, revelou que 11% dos que estavam com o peso ideal bebiam refrigerante de baixa caloria, 19% dos que estavam acima do peso consumiam bebidas dietéticas e, entre os obesos, a parcela era de 22%.

Já um estudo na revista científica Obesity, que acompanhou 3,7 mil pessoas durante oito anos, mostrou que quem consumia bebidas de baixa caloria com adoçantes engordou mais durante o período.



Mas há um problema com os estudos já feitos sobre o tema: as relações de causa e efeito são praticamente impossíveis de serem determinadas.

Além disso, cada vez mais cientistas se perguntam se as bebidas estão causando ganho de peso ou se as pessoas obesas estão apelando para refrigerantes dietéticos para tentar controlar o peso.

As experiências de Swithers, da Universidade de Purdue, em ratos sugerem que as bebidas dietéticas alteram a forma com que o corpo lida com o açúcar normal ? o que pode acabar levando ao ganho de peso.

Isso porque, quando chega à língua, o açúcar emite um alerta ao corpo de que a comida está a caminho.

Com os adoçantes de zero caloria a mesma mensagem é enviada, mas nenhum alimento chega.

"Acreditamos que refrigerantes diet podem fazer mal à saúde porque mudam a forma como o corpo lida com o açúcar que ingere", disse Swithers.



A professora também cita outro problema: compensação. Segundo a especialista, quando sabemos que estamos retirando calorias de uma parte da dieta, tendemos a compensar essa carência comendo mais.

"É aquela velha lógica: tomei um refrigerante diet, por isso posso comer um biscoito", disse.

Polêmica

O aspartame é um dos adoçantes de baixa caloria mais conhecidos, mas também o mais polêmico.


Últimas notícias da Categoria "Bem Estar"

Google quer criar o mapa genético do humano.

O próximo grande projeto do Google tem a ver com genética. O laboratório Google X, que realiza as pesquisas mais ambiciosas e arriscadas da empresa, como o Google Glass, o carro autônomo e os balões de internet, agora inicia o “Baseline Study”, uma aposta

Comer menos não resolve questões emocionais da obesidade, diz psiquiatra

Problema deve ser tratado mais a fundo para evitar complicações futuras

Hipotireoidismo e gravidez

As alterações da tireoide para mais ( Hipertireoidismo) e para menos ( Hipotireoidismo) podem ter influência em diversas partes do organismo. Um hipotireoidismo não tratado, por exemplo, pode levar a um aumento de peso e dificuldade de perdê-lo, mesmo com

Consultas rotineiras ao urologista ajudam a rastrear câncer de próstata e outras doenças

De maneira geral, a ida ao urologista está condicionada ao surgimento de sintomas até a idade adulta.

Internet pode causar problemas de saúde em jovens

Uma pesquisa realizada pela Faculdade de Medicina da Universidade Case Western Reserve constatou que adolescentes que passam mais de três horas conectados à internet ou trocando mensagens de texto estão mais propensos a terem problemas de saúde.

PARCEIROS

Contato
contato@profetasdebermuda.com.br
Desenvolvido por
Mega Design